Alto Tietê acumula denúncias de aglomerações em bairros e estabelecimentos durante pandemia do novo coronavírus

Alto Tietê acumula denúncias de aglomerações em bairros e estabelecimentos durante pandemia do novo coronavírus

Ligações e mensagens sobre aglomerações neste período de pandemia do novo coronavírus têm chegado com frequência à TV Diário. Há o registro e denúncias de pessoas se aglomerando, seja em estabelecimentos ou bairros de diferentes partes do Alto Tietê, mesmo diante da recomendação de distanciamento social.

Uma das denúncias se trata de um hotel localizado em frente ao Hospital das Clínicas de Suzano, que, por enquanto, não está recebendo pacientes com Covid-19. A denúncia foi feita por um vizinho, que não quis se identificar, mas disse que, todo fim de semana, o entra e sai de pessoas no local é grande. Ele disse que as pessoas estão alugando a quadra para jogar futebol e usar a piscina.

Por telefone, a reportagem da TV Diário se passou por um cliente e conversou com um funcionário do hotel. Perguntado se estão alugando quadra e como estava a agenda do fim de semana, o funcionário confirmou que o local estava funcionando, tanto para o aluguel de piscina, quanto da quadra. O valor cobrado pela hora é de R$ 80.

Já em Mogi das Cruzes, uma reclamação constante é sobre o Pico do Urubu, que mais uma vez foi fechado pela Prefeitura. No fim de semana do Dia das Mães, o acesso estava liberado, e o local ficou cheio de gente. Na Vila Natal, a reclamação é sobre a aglomeração de adolescentes soltando pipa. Por telefone, a reportagem conversou com uma moradora, que não quis se identificar.

“Eles usam linha com cortante, arrumam briga entre eles. Semana passada eles invadiram uma casa para pegar uma pipa que tinha caído. Então a gente já está reclamando há muito tempo. Eles não usam máscara, ficam aglomerados, mas isso é entre eles. A gente fica dentro de casa. Só que, quando a gente reclama, eles falam que estão se divertindo”.

A moradora comentou que já acionou a Prefeitura várias vezes. Ela gravou um vídeo no último domingo, que mostra uma grande aglomeração no bairro. Desta vez, várias equipes da Guarda Municipal estiveram no local para dispersar a multidão.

A Prefeitura de Mogi diz que faz essas ações para seguir todas as determinações relacionadas à Covid-19, como o distanciamento social. As denúncias podem ser feitas para o setor de Posturas da Prefeitura, pelo 156 e para a Guarda Municipal.

Em relação ao hotel de Suzano, a administração se manifestou por meio de uma nota. “Nós alugávamos a quadra, mas, desde que começou a pandemia e foi decretada a quarentena, não alugamos mais. Os mensalistas deixaram de vir e o que estão fazendo são reservas para quando a quarentena passar. Caso haja a prorrogação da quarentena, continuaremos sem alugar e esperando tudo isso passar. O funcionário deve ter passado informações erradas por telefone. Estamos tomando todos os cuidados recomendados pelos órgãos de saúde”, disse.

Já a Prefeitura de Suzano informou que faz ações para combater as aglomerações e que esse trabalho vai continuar ao longo de toda a quarentena. No último fim de semana, inclusive, foi realizada uma operação especial.

No último fim de semana, o departamento de fiscalização interditou quatro estabelecimentos comerciais no bairro Miguel Badra. A operação contou com a participação da Vigilância Sanitária, da Guarda Civil Municipal e das polícias Civil e Militar. Três tabacarias e um salão de belezas foram autuados e fechados. Os estabelecimentos também não tinham alvará de funcionamento.

De acordo com o assessor da Secretaria de Segurança Cidadã de Suzano, Jefferson Ferreira dos Santos, até o momento, mais de 500 comércios foram fiscalizados na cidade. Segundo ele, alguns são reincidentes, o que leva ao fechamento. “Nesse fim de semana, foram lacrados três comércios que haviam sido orientados, notificados e, dessa forma, foram lacrados. Nesses locais, geralmente há o acúmulo de pessoas, como em tabacarias e bares”, declarou.

Jefferson também chamou a atenção para as denúncias falsas e pediu a colaboração das pessoas neste momento. “Infelizmente ainda temos denúncias em que chegamos lá e não tem nada. No fim de semana, tivemos algumas denúncias de aglomerações em sítios e regiões mais afastadas, mas não havia nada no local”, conclui o assessor.

Segundo Jefferson, as denúncias podem ser feitas em todos os dias da semana, pelos telefones 153 e 4745-2150.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário

    Gostou?
    Antes de Ir...

    SIGA A GENTE NAS REDES SOCIAIS