Quase quatro meses após primeiro caso da Covid-19, Biritiba Mirim inaugura Posto de Atendimento e Isolamento

Nos meses de maio e junho, cidade registrou média móvel de dois novos casos por dia em diversas vezes. Segundo a prefeitura, demora para iniciar as atividades foi por dificuldade de encontrar insumos.

Quase quatro meses após confirmar o primeiro caso da Covid-19, em 30 de março, e registrar média móvel de dois novos casos por dia nos meses de maio e junho, a Prefeitura de Biritiba Mirim iniciou nesta quarta-feira (22) as atividades do Posto de Atendimento e Isolamento Covid-19.

O serviço está instalado no Ginásio Municipal de Esportes. Os moradores que sentirem sintomas de infecção pelo novo coronavírus agora devem ir ao local, onde este tipo de atendimento está centralizado. Ao todo são 10 leitos, sendo sete de enfermagem para isolamento e três com respiradores, para estabilização. O G1 questionou a prefeitura se são leitos de enfermaria e de UTI e espera retorno.

Biritiba Mirim é o município de toda a grande São Paulo em que os moradores estão mais vulneráveis à Covid-19, segundo o Instituto Votorantim. Entre os pontos considerados para a nota estava a necessidade dos habitantes de procurar atendimento de saúde em cidades vizinhas. O município não tem leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Até a terça-feira (21), o município tinha 107 casos confirmados e 11 mortes pela Covid-19.

Segundo a prefeitura, a ação de centralizar o atendimento é para diminuir o fluxo de pacientes que chegam com suspeitas do novo coronavírus no Pronto Atendimento (PA) Municipal. Até o início do atendimento na estrutura, uma pré-triagem para atender pacientes com sintomas do novo coronavírus foi implantada no PA. Até então, aqueles diagnosticados com o vírus, eram encaminhados para uma sala separada do atendimento geral.

Os materiais necessários para o início do atendimento na estrutura chegaram no município na semana passada. De acordo com a secretária municipal de Saúde, Vânia Reno Nhan, houve dificuldade na aquisição dos equipamentos, por isso a demora para o funcionamento do Posto de Atendimento e Isolamento Covid-19.

“Tivemos dificuldade em encontrar os equipamentos necessários, principalmente por estarem com preços elevados, mas optamos por fazer licitação e conseguimos adquirir com valores menores, por isso não foi possível iniciar o funcionamento do Posto antes”, disse.

Para atender à população, de acordo com a prefeitura, foi realizado um processo seletivo pela Organização Social (OS) gestora da estrutura, a Igaps. Os interessados no processo realizaram uma prova e foram selecionados posteriormente.

“Abrimos um edital de contratação e os interessados fizeram uma prova para serem selecionados. Todas as equipes médicas, triagem e de apoio já estão contratadas e treinadas e estamos à disposição para amparar todos os pacientes que precisam”, ressaltou o diretor da Igaps, Marcelo Alcaraz.

O atendimento na estrutura é 24 horas e conta com todos os profissionais necessários para atender os moradores. Os equipamentos adquiridos para o Posto são da prefeitura. Após a pandemia, os mesmos serão encaminhados para uso nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário

    Gostou?
    Antes de Ir...

    SIGA A GENTE NAS REDES SOCIAIS