Família acusa Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos de negligência

Parentes de paciente afirmam que ele ficou com ferida por falta de cuidados. Homem esta internado há 6 meses na unidade e aguarda cirurgia. A Secretaria Estadual de Saúde informou que o hospital está apurando o que aconteceu e deve agendar uma reunião com a família para orientações e esclarecimentos.

Uma família acusa o Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos de negligência. Os parentes de Celso de Paula, de 61 anos, afirmam que ele está internado no hospital há meses e que isso rendeu uma enorme ferida nas suas costas. A Secretaria Estadual de Saúde informou que o hospital está apurando o que aconteceu e deve agendar uma reunião com a família para orientações e esclarecimentos.

Celso de Paula precisa passar por uma cirurgia, que foi o motivo de ter sido levado até o hospital, mas os médicos não autorizam o procedimento, justamente por causa do ferimento.

A família relata que ele está internado há seis meses no hospital. A irmã de Celso de Paula, Celina Maria de Paula, afirma que ele deu entrada no hospital em 6 de maio depois de sofrer uma queda em casa. “Foram feitos os exames, avaliação e alegaram que ele estava com um trauma na coluna. Fraturou a C1 e que com urgência necessitava de uma cirurgia com neurocirurgião.”

O Regional de Ferraz não realiza este procedimento. Por isso, o paciente teve que aguardar vaga em outro. Em junho, Celso de Paula foi encaminhado para um hospital de Guarulhos onde foi avaliado. Como o procedimento é de alto risco, voltou para Ferraz com uma lista de exames para fazer. Um deles demorou dois meses para ser feito, segundo a família.

Em 8 de setembro, Celso voltou para o hospital de Guarulhos, mas não pode fazer o procedimento. O motivo foi uma ferida de 80 centímetros nas costas. A explicação está em um relatório médico feito pelo Regional de Ferraz de Vasconcelos. A cirurgia não seria feita até que o problema da ferida fosse resolvido.

“Ele ficou com uma escara de ficar tanto tempo no hospital. E os médicos e enfermeiros são treinados e estudam para isso, poderiam ter evitado, mas não evitaram. Então, meu pai não pode fazer nenhum tipo de cirurgia, pelo menos pelo que os médicos disseram, por causa dessa escara que ele está. Então, os médicos disseram que para meu pai curar essa escara 100% leva de 8 meses a 1 ano”, explica a filha do paciente, Juliana de Paula.

A família denuncia a falta de cuidados e que as feridas pelo corpo foram causadas por falta de atenção com o paciente. No final do mês passado, Celso fez um enxerto – tirou tecido de uma das pernas, para tratar da ferida nas costas.

O caso foi denunciado pela família à direção do hospital há quatro meses e nada mudou no atendimento. “Tem uma ou duas enfermeiras que realmente são boas. Na minha opinião deveriam ter feito isso desde o começo. Tem uns enfermeiros que posso considerar que nem são humanos. Meu pai não está em casa comigo por negligência médica, o meu pai não fez nada de errado. Tudo que eles pediam para o meu pai fazer, ele fazia. Meu pai não consegue se mexer. Comida a gente dá na boca, escovar os dentes a gente escova, tudo. A única coisa que ele consegue fazer sozinho é dormir”, afirma Juliana.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário