Jovem de 24 anos desaparece cinco dias após ser estuprada em Guarulhos

A família acredita que um ex-namorado da vítima esteja envolvido nos crimes

Uma auxiliar administrativa de 24 anos está desaparecida desde domingo, 26/07, quando deixou a casa de um amigo, na Vila Fátima. A polícia investiga ainda uma ocorrência de estupro registrado por ela cinco dias antes do desaparecimento. A família acredita que os crimes foram cometidos pelo mesmo grupo de pessoas. Os criminosos chegaram a pedir R$ 20 mil pelo resgate.

O caso de estupro aconteceu no dia 21 de julho, quando a vítima deixou o trabalho na região central e foi abordada por dois homens, em um veículo modelo Ford/Fiesta. Eles teriam usado uma arma para ameaçar a mulher. Dentro do automóvel, um homem permaneceu na direção do veículo, enquanto outro suspeito teria cometido a violência sexual. Ela foi liberada no Jardim Paraventi e foi levada para casa por policiais militares. Nada material foi roubado dela.

No 9º DP, onde o caso foi registrado, a vítima teria explicado para a polícia que ouviu um dos criminosos conversando com alguém apelidado de “Cremosinho”, nome conhecido de um amigo do ex-namorado da mulher. Após o registro do boletim de ocorrência, a polícia solicitou exame sexológico e de constatação de lesão. A jovem foi levada para o Hospital Pérola Byington, na Capital.

O irmão da vítima teria afirmado, ainda, que no mesmo dia recebeu uma mensagem, por um aplicativo, avisando sobre o sequestro. Os criminosos exigiam o valor de R$ 20 mil para liberar a vítima. A jovem teria informado para a polícia que um perfil falso com seu nome foi criado nas redes sociais, pouco antes do crime.

Sequestro

No domingo, a jovem foi até a casa de um amigo, na Vila Fátima. Por volta das 14h, solicitou um carro de aplicativo para voltar para casa e não foi mais encontrada. O amigo contou para a polícia que recebeu uma mensagem da mulher dizendo que já estava em casa.

No mesmo dia, a família passou a receber mensagens pelo Instagram de um homem afirmando ter sequestrado a jovem. Ele pedia os R$ 20 mil dizia que o motivo do sequestro seria rejeição por parte da vítima.

Nas mensagens, o homem enviou áudios e fotos, que seriam da mulher sequestrada, mas elas não foram reconhecidas pela família. Em uma das imagens, um familiar reconheceu uma tatuagem, com algo que parecia ser sangue.

A última vez que a família conversou com o suspeito foi na segunda-feira, 27/07.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário

    Gostou?
    Antes de Ir...

    SIGA A GENTE NAS REDES SOCIAIS