Moradores de Mogi adotam cuidados adicionais com as máscaras; médico orienta sobre medidas corretas

Além do uso em si da máscara no dia a dia, muitas pessoas ficam atentas a outros cuidados que devem ser adotados com esse acessório, como a higienização e a forma correta de manuseá-lo.

Uma das ferramentas mais importantes para se proteger do novo coronavírus é a máscara, acessório que se tornou obrigatório no estado de São Paulo há pouco mais de dois meses. Em Mogi das Cruzes, é possível encontrar algumas pessoas que não seguem essa recomendação. Por outro lado, muitas se preocupam com a utilização e com os cuidados a serem tomados com o item.

Elas já fazem parte do guarda-roupa das pessoas. Um acessório que não pode faltar na hora de sair, mesmo se for para voltar rápido para casa.

Não é difícil encontrar quem ainda insiste em não cobrir a boca e o nariz, achando que, mesmo assim, está se protegendo. Mas, além de usá-la, é necessário tomar mais cuidados com a máscara.

“Estou sempre antenada para ver o que é melhor. Compro muitas máscaras. Sigo também as orientações, o modo correto de tirar, de colocar. Se colocar a mão na máscara, eu tenho o hábito de passar álcool em gel sempre”, falou a dona de casa Claudete Marcondes.

Dentro da bolsa, a pensionista Maria das Graças Santos de Oliveira carrega um saco plástico para deixar o item de proteção que ela já usou e também outra máscara, que foi ela quem fez.

“Geralmente são duas ou três máscaras para cada. Ou a gente compra também. A minha eu mesma gosto de fazer, porque às vezes compra, e aquele elástico dá uma dor muito grande”, comentou Maria.

A Organização Mundial da Saúde já alertou que é necessário ficar atento ao uso da máscara para evitar uma falsa sensação de segurança. Isso para que, no momento de colocar ou tirar a máscara, as mãos não estejam sujas. Mas existem outras medidas que devem ser adotadas.

“Em primeiro lugar, quando você está com a máscara, ela é uma barreira contra o vírus. Então eu devo pressupor que ela está cheia de vírus. Portanto, nunca devo abaixar a máscara tocando na parte da frente. As pessoas que colocam sobre o queixo acabam contaminando suas mãos, se elas tiverem tido contato com o vírus na máscara. Ela deve sempre ser retirada por trás. Se eu for comer, eu tiro completamente, mas eu tiro pelo elástico e utilizo uma toalhinha de papel para colocar a máscara com a parte externa sobre a toalha. Eu como normalmente e, depois disso, coloco a máscara, sempre pelo elástico. Nunca tocando na frente”, explicou Sérgio Zanetta, médico sanitarista e professor de saúde pública

Para quem deixa a máscara no queixo, o médico conta que é o mesmo que não usá-la. “É a mesma coisa que eu estar no carro. Posso estar com cinto de segurança, e aí estou protegido contra um acidente, e, sem cinto de segurança, não estou protegido. Então a máscara tem essa função”.

Ter mais que uma máscara também é necessário. E, de acordo com o médico, não há limite de lavagens. O importante é higienizá-la bem e usá-la para proteger a própria saúde e a saúde do próximo.

“A máscara caseira, de preferência de algodão, que é muito mais confortável, deve ser lavada com qualquer sabão ou detergente. Não há necessidade de se colocar no hipoclorito, até porque existem máscaras coloridas lindas, e elas iriam desbotar no cloro. É só lavar com o sabão normal, como se lava roupa. Se quiser higienizar durante o banho, você pode lavar com o próprio sabonete do banho”.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário

    Gostou?
    Antes de Ir...

    SIGA A GENTE NAS REDES SOCIAIS