Vacinação de grávidas e puérperas contra a Covid-19 continua suspensa nas cidades do Alto Tietê

Vacinação de grávidas e puérperas contra a Covid-19 continua suspensa nas cidades do Alto Tietê

Municípios alegam que não têm estoque suficiente das outras vacinas recomendadas pelo Ministério da Saúde para esse grupo.

Pelo menos seis de dez cidades do Alto Tietê mantém suspensa a vacinação de gestantes e puérperas contra a Covid-19, com o imunizante da AstraZeneca.

Os municípios de Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes e Suzano alegam que não têm estoque suficiente das outras vacinas recomendadas pelo Ministério da Saúde para esse grupo.

Na terça-feira (11), algumas cidades da região suspenderam a vacinação das grávidas depois de uma decisão da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) na noite de segunda-feira (10), que recomenda que não seja usado o imunizante da AstraZeneca.

Nesta terça-feira (11), o Ministério da Saúde anunciou que a vacinação de grávidas e de puérperas no Brasil contra a Covid-19 será restrita somente às mulheres com comorbidades (doenças pré-existentes) e elas devem receber apenas as vacinas CoronaVac e Pfizer.

Depois da recomendação da Anvisa municípios da região que previam iniciar a imunização nesta terça-feira, como por exemplo Guararema, suspenderam a aplicação das doses.

Investigação de morte de gestante

A determinação vale até que sejam concluídas as análises de um caso raro de morte de uma gestante de 35 anos por causa de um acidente vascular cerebral hemorrágico (AVC) que pode ter ligação com o uso da vacina AstraZeneca.

O óbito ainda está em investigação e, segundo o governo federal, ainda não está comprovado que a vacinação tenha causado a complicação na gestante.

Antes dessa determinação, em 26 de abril, o ministério decidiu incluir todas as grávidas e puérperas (mulheres no período pós-parto) no grupo prioritário para receber a vacina contra a Covid-19. Em 15 de março, o governo já tinha incluído as gestantes com comorbidades.

G1 questionou todas as prefeituras do Alto Tietê sobre a suspensão da vacina para grávidas e puérperas, mas até a publicação da reportagem as cidades de Arujá, Poá, Santa Isabel e Salesópolis não tinham enviado resposta.

  • Biritiba Mirim

A Secretaria Municipal de Saúde informou que manterá suspensa a imunização de gestantes e puérperas com comorbidades, pois no momento não existe no estoque doses de Coronavac para atender este público. A secretaria destaca que o município segue aguardando novas orientações do Plano Estadual de Imunização e o recebimento de doses paras este grupo.

  • Ferraz de Vasconcelos

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a cidade seguirá todas as recomendações do Ministério da Saúde em relação a estes grupos. No entanto, falta na cidade vacinas destas fabricantes.

O município informou que aplica apenas a segunda dose da Coronavac e os demais públicos estão recebendo a Astrazeneca.

Anúncio Patrocinado
  • Guararema

A Secretaria Municipal de Saúde informou que com a nova orientação está suspensa a vacinação de gestantes e puérperas com comorbidades, visto que as doses destinadas a este grupo são da Astrazeneca.

De acordo com a pasta, as doses existentes de Coronavac em estoque são apenas para segunda dose. A Secretaria de Saúde destaca que a imunização será iniciada para o grupo de gestantes e puérperas apenas quando tiver nova orientação do Grupo de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo.

  • Itaquaquecetuba

A Prefeitura informou que o município segue o plano estadual de imunização e suspendeu a vacinação de gestantes e puérperas.

De acordo com a Prefeitura, a imunização será retomada tão logo novas remessas de vacinas do Butantan e da Pfizer sejam direcionadas pelo Ministério da Saúde para esses públicos. Isso deve acontecer nos próximos dias.

A administração destaca que o restante das doses da Coronavac que o município ainda possui são de outros públicos, conforme orientação do plano estadual, e que não recebeu doses da Pfizer.

A Prefeitura ressalta que profissionais da Educação estão sendo vacinados com a segunda dose da Coronavac.

  • Mogi das Cruzes

A Prefeitura informou que o município precisa aguardar a chegada de doses dos fabricantes destinadas ao público de gestantes e puéperas com comorbidades.

E que a imunização de grávidas e puérperas será feita somente com orientação do Governo do Estado e o envio das doses dos fabricantes liberados.

A Prefeitura destacou também que a vacina da Pfizer não virá para Mogi das Cruzes e a Coronavac tem sido enviada semanalmente pelo Governo do Estado com destino certo para aplicação de segundas doses.

Segundo a Prefeitura, Mogi está vacinando todos os pacientes que precisam de segunda dose de Coronavac conforme datas e prazos previstos, sem qualquer problema até o momento.

  • Suzano

A Prefeitura informou que serão mantidos os mesmos critérios para vacinação e utilizadas apenas doses da Coronavac, quando estiverem disponíveis.

Mas que, por enquanto, a vacinação de grávidas e puéperas está suspensa em razão da falta de doses da Coronavac para este público.

A Prefeitura destacou que nunca recebeu lotes da vacina da Pfizer e que aguarda do governo estadual o envio de mais doses.

Deixe seu voto

mood_bad
  • Nenhum comentário.
  • Comentar

    Veja Também

    Log In

    Forgot password?

    Don't have an account? Register

    Forgot password?

    Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

    Your password reset link appears to be invalid or expired.

    Log in

    Privacy Policy

    Add to Collection

    No Collections

    Here you'll find all collections you've created before.

    Alto Tietê Online Receba novidades e notificações na tela do seu dispositivo.
    Não
    Permitir Notificações