Mulher que preparou marmitas suspeitas de matar moradores de rua na Grande SP diz que família comeu alimento e não passou mal

Ela foi liberada após prestar depoimento na Polícia de Itapevi, que apura se mortes foram causadas por alimento estragado ou envenenado. Dois homens e um cachorro morreram e outras duas pessoas estão internadas em estado grave.

mulher que preparou as marmitas suspeitas de matar dois moradores de rua e um cachorro e deixar dois adolescentes internados na terça-feira (21) em Itapevi, Grande São Paulo, falou à Polícia Civil que a família dela também comeu o mesmo alimento, mas não passou mal. Ela foi liberada após prestar depoimento na quarta (22).

A investigação apreendeu a comida, que passará por análise para saber se estava estragada ou envenenada. Também serão realizados exames nos corpos das vítimas para saber o que os matou. Os sobreviventes também serão examinados para saber se foram intoxicados.

José Luiz de Araújo Conceição, de 61 anos, e Vagner Aparecido Gouveia de Oliveira, de 37, morreram na noite de terça-feira (21) após comeram marmitas distribuídas gratuitamente por voluntários a moradores de rua em razão da pandemia de coronavírus. O cão que estava com eles no posto de combustíveis abandonado também comeu o alimento e morreu em seguida.

Um comerciante que passava por perto também recebeu as marmitas, mas não comeu na hora. Ele levou pra casa e entregou para mulher, uma moça de 17 anos, e para o filho de 11 anos. Os dois adolescentes comeram o alimento, passaram mal e foram internados em estado grave num hospital.

A mulher que prestou depoimento à polícia não teve a identidade divulgada. Segundo os policiais, ela se apresentou espontaneamente na delegacia após identificar que seu carro apareceu em imagens divulgadas pela investigação.

vídeo mostra veículos e voluntários doando marmitas aos moradores, que depois morreram após comer o alimento. Eles moravam num posto abandonado na Rodovia Engenheiro Renê Benedito da Silva, em Itapevi.

Segundo testemunhas que socorreram as vítimas, elas pediram ajuda reclamando de dores de barriga.

Investigação

A mulher que prestou depoimento à polícia não teve a identidade divulgada. Segundo os policiais, ela se apresentou espontaneamente na delegacia após identificar que seu carro apareceu em imagens divulgadas pela investigação.

vídeo mostra veículos e voluntários doando marmitas aos moradores, que depois morreram após comer o alimento. Eles moravam num posto abandonado na Rodovia Engenheiro Renê Benedito da Silva, em Itapevi.

Segundo testemunhas que socorreram as vítimas, elas pediram ajuda reclamando de dores de barriga.

Assista o vídeo no g1: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/07/23/mulher-que-preparou-marmitas-suspeitas-de-matar-moradores-de-rua-na-grande-sp-diz-que-familia-comeu-alimento-e-nao-passou-mal.ghtml#G1-POST-TOP-1H-item-sel-8,top,2882c745-993f-43e5-a245-918aa54266a9

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário