Frequentadores dos cemitérios municipais de Ferraz reclamam de falta de manutenção

Frequentadores dos cemitérios municipais de Ferraz reclamam de falta de manutenção

Parentes e amigos dos mortos relatam dificuldades para encontrar túmulos, devido o mato alto.

Frequentadores dos cemitérios municipais do Cambiri e da Saudade, em Ferraz de Vasconcelos, reclamam da falta de manutenção nos locais. Eles dizem que muitas vezes não é possível encontrar os túmulos por falta de placas e o mato alto. Prefeitura de Ferraz negou que os locais estão sem manutenção.

Na unidade do Parque Cambiri, as mais de 5,3 mil sepulturas estão sem manutenção. Com o mato alto, alguns túmulos até chegam a ficar escondidos, e impossibilitam quem tem mobilidade reduzida de caminhar pelo local. A situação é agravada ainda pelos buracos e as partes de concreto irregulares.

O comerciante Edilson dos Santos Chaves diz que não há identificação dos jazigos. “É uma sensação de terror, mato para todo lado. Uma bagunça”, relata. Ele conta ainda que tem amigos enterrados na unidade e, cansado do descaso, procurou a produção do Diário TV para fazer a denúncia. Ele diz que o cemitério está assim há, pelo menos, três anos. Inclusive reclamou na prefeitura.

“A resposta deles é que vai fazer. Mas se não cuidam nem dos vivos, imagine dos mortos. A gente fica na sensação de abandono”, ressalta.

O cemitério do Cambiri existe há 37 anos. É o maior da cidade, mas há pelos menos três meses, segundo os moradores, entrar e sair dele não depende dos portões da frente estarem abertos, isso porque parte do muro lateral está quebrado. Enquanto isso, os funcionários tentavam consertar. Mas ainda há buracos em outras partes do muro.

A família do autônomo Gustavo Dias paga R$ 40 por mês para a manutenção do local. Ele foi até o cemitério, mas não conseguiu localizar a família por conta do mato alto. “Até para morrer, a pessoa vai ficar chateada, porque já vê o estado que está aqui em vida. A gente até poderia vir aqui e capinar, mas essa é a situação geral do cemitério”, ressalta.

A situação se repete no cemitério da Saudade, o mais antigo no município. O muro da frente está com a pintura já meio desgastada. Nos fundos, o muro quebrado facilita a entrada de qualquer pessoa. O mato alto também é presença garantida no local. Covas abertas, sepulturas faltando placas de bronze, sem identificação dificulta encontrar um dos 2,4 mil túmulos é também tarefa difícil.

A dona de casa Laurinda Araújo Moreira avalia o local como “porquice”, porque segundo ela são descartados animais mortos, colchão, cama. “Então o peso do muro, que fica ajuntando entulho, faz cair o muro”, ressalta.

A falta de conservação dos cemitérios de Ferraz de Vasconcelos, por duas vezes, fez o prefeito ser notificado pela Câmara de Vereadores. Uma em fevereiro de 2017, quando o vereador alegou que a grande quantidade de vegetação, além de causar constrangimento para quem tem alguém enterrado no local, prejudica o acesso e a localização dos túmulos. A prefeitura nunca respondeu essa notificação, segundo a câmara.

Um ano depois, a administração voltou a ser questionada sobre a conservação dos cemitérios. O presidente da Câmara cobrou da situação precária dos cemitérios da cidade, já que é de competência do município, a manutenção, limpeza e manter toda a infraestrutura dos locais. Fora isso, a câmara pedia explicações de onde o dinheiro arrecadado com as taxas de enterro, exumação e outros serviços estava sendo aplicado.

Mais de um mês depois, a prefeitura respondeu o requerimento dizendo que, na época, um mutirão de limpeza, capinação e pintura já tinha começado no cemitério da saudade e que depois iria para o do Cambiri.

Sobre a aplicação dos recursos arrecadados, a secretaria Municipal de de Contabilidade explicou que eles não precisam ser aplicados exclusivamente na manutenção e investimentos dos cemitérios, já que esse dinheiro tem uma natureza que permite ir pro caixa geral da prefeitura.

No final de 2019, a prefeitura entrou de novo na mira dos vereadores quanto à existência de equipamentos de segurança usados para os coveiros e funcionários. Essa notificação, segundo a câmara, ainda não tinha sido respondida.

Enquanto a prefeitura não resolve a situação, quem tem o cemitério como vizinho faz o que pode, mas não esconde a indignação. “É uma falta de respeito com quem já morreu”, diz.

A Câmara de Ferraz de Vasconcelos informou que os vereadores costumam cobrar informações por meio de requerimentos e, quando isso acontece, a administração municipal tem um prazo de até 15 dias para responder a casa, a partir do seu recebimento.

Em nota, as secretarias municipais de Serviço Urbanos, Fazenda e da Guarda Civil Municipal (GCM) de Ferraz de Vasconcelos negaram que os locais estão há muito tempo sem manutenção. Esta afirmação não procede, pois já uma equipe de limpeza no referido cemitério há mais de 15 dias, e que as ruas possuem piso de concreto, mesmo assim, no próximo mês, deve ser iniciada a recuperação do chão. Quanto à identificação da quadras, a prefeitura informou que já está providenciando as placas para serem instaladas.

Quanto ao trechos de muro que desabaram, a resposta da administração municipal foi de que de estes locais já estão sendo recuperados.

Segundo a GCM, as ações da corporação também são pautadas em estatísticas e nos últimos tempos, não há notícia de crimes dentro dos cemitérios de Ferraz. “De qualquer forma, o Cemitério do Cambiri, que fica aberto 24 horas por dia e a circulação de pessoas é normal, é monitorado pela Guarda. Já na região do Cemitério da Saudade há patrulhamento preventivo constante. Não há cobrança desta taxa, por isso a Secretaria de Serviços Urbanos pede para que a pessoa apresente os comprovantes do pagamento na pasta”, destacou em nota.

Ainda de acordo com as pastas, no cemitério da Saudade estão sendo programadas manutenções, e quanto às placas das sepulturas, estas são de responsabilidade das famílias. A capinação e roçagem dos cemitérios são realizadas em intervalos de 60 dias. Já a limpeza foi executada no final do mês de outubro e começo de novembro de 2019. Quanto à situação de equipamentos, está normalizada. A notificação já foi respondida, de acordo com a prefeitura.


Fazer um comentário
Comentário
Nome
E-mail