Moradores pedem manutenção em ponte de córrego em Mogi das Cruzes

Moradores pedem manutenção em ponte de córrego em Mogi das Cruzes

Os moradores da Vila Natal, em Mogi das Cruzes, não estão satisfeitos com as condições da ponte e do muro de arrimo no Córrego Rio Negro. A ponte está localizada na Rua Engenheiro Francisco Salessa.

A via liga a Vila Natal a outros bairros como Jardim Camila e Vila Oliveira. Por isso, recebe um grande número de veículos durante todo o dia.

A vendedora Thamires Andrade da Silva diz que os moradores do entorno da ponte estão preocupados com a falta de manutenção em diversos pontos da estrutura. Entre eles está o muro de arrimo feito de pedras que está com um buraco.

Thamires afirma ainda que as casas perto do córrego estão com rachaduras. “Quando os carros passam na rua a casa balança. Nosso medo é água do buraco do muro começar a infiltrar e ceder. O quarto do meu primo está trincado. Por causa da água que infiltra por baixo da casa. O problema acontece há dois anos e nada foi feito.”

Thais de Andrade também mora no bairro e procurou a Prefeitura. Ela disse que a administração municipal informou que está fazendo uma licitação para arrumar o buraco do paredão do córrego. “A gente está aguardando e até agora não veio ninguém falar sobre o assunto e nada foi resolvido.”

Outra reclamação dos moradores são as grades na lateral da ponte, elas estão enferrujadas e balançam. Alguma parte tem escora porque a lateral está solta. “As pessoas que passam não podem apoiar porque podem cair com grade e tudo no córrego. Também falta luz para o período noturno e muita gente passa por ali”, afirmou Thais.

Paulo Rogério Bezerra é diretor da Secretaria de Serviços Urbanos de Mogi das Cruzes e foi até a Vila Natal ouvir as queixas das moradoras. Bezerra explicou que o muro de arrimo que fica na marginal do córrego não tem um fundo de concreto.

“É comum a água retirar o material do muro de pedra, fazendo as pedras caírem nos dias de chuva. Realmente tem um trecho do muro comprometido e vamos mandar uma equipe verificar e se necessário faremos a manutenção desse trecho.”

Quanto às rachaduras das casas, o diretor destacou que o muro de arrimo do córrego e das casas deveria ser separado. “Esse muro do Córrego do Rio Negro é de contenção da margem e não muro de sustentação das casas e das estruturas construídas na beira do córrego. A gente vê a estrutura das casas em cima dos muros de arrimo do córrego. Mas cada casa deveria ter seu muro independente do muro de arrimo da margem do córrego.”

Sobre as grades soltas e enferrujadas, o diretor garantiu que a equipe de solda da Secretaria de Serviços Urbanos vai resolver o problema.

“A limpeza do córrego é feita sempre. Em 2017 fizemos 70 mil metros de roçadas de córrego, em 2018 foram 270 mil e em 2019 vamos atingir 400 mil metros quadrados de limpeza de córrego. A questão é que esse trecho do córrego ainda tem esgoto e isso ajuda o mato a crescer rapidamente. Mas passamos aqui a cada um mês e meio”, afirmou Bezerra.

Fazer um comentário
Comentário
Nome
E-mail

Está Usando um Bloqueador?

Olá! Nosso site exibe anúncios, se você estiver com o bloqueador de anúncios ativado não irá conseguir ver o site de forma correta. Por favor, desabilite o bloqueador. Obrigado!