Associação de pescadores em Santa Isabel já é fonte de renda para oito famílias da cidade

Associação de pescadores em Santa Isabel já é fonte de renda para oito famílias da cidade

Projeto começou a funcionar há dois anos depois que a associação de pescadores conseguiu a licença ambiental para a atividade

Pescadores de Santa Isabel que fazem parte de uma associação estão animados com as vendas de tilápias. O peixe, que também é vendido em supermercados da cidade, é a principal fonte de renda de algumas famílias que fazem parte da entidade.

As tilápias chegam a ficar sete meses para alcançar um quilo, tamanho adequado para a venda. O projeto de pescaria no Rio Jaguari conta com 28 tanques-redes, 11 estão em operação. Hoje são cerca de 10 mil tilápias criadas na represa.

O projeto começou a funcionar há dois anos depois que a associação de pescadores conseguiu a licença ambiental para a atividade. A criação de tilápias já está melhorando a vida dos associados. Cerca de oito sobrevivem só com o cultivo e a comercialização de peixes.

“Eu levo o sustento para a minha família, além do dinheiro ainda levo uma mistura para casa. A gente fica muito feliz que esse negócio está dando certo”, diz Vicente de Paulo Leite, presidente da associação de pescadores.

No ano passado a associação produziu mais de 7,5 toneladas de peixes. O projeto está na quinta safra. Até dezembro, os tanques devem produzir 13 toneladas. A meta é conseguir expandir para 120 tanques e chegar a 90 toneladas de peixe, por ano. O peixe criado em cativeiro abastece o comércio da região.

Do tanque para o supermercado, o transporte é rápido. O carregamento é feito geralmente de manhã, porque o clima é mais fresco. Da represa até o Centro de Santa Isabel são cerca de 15 quilômetros.

Em menos de duas horas, o peixe já está no frigorífero. Dez mil pessoas de Santa Isabel consomem o peixe cultivado no rio Jaguari. São cerca de 700 quilos, por semana, vendidos para supermercados. Qualidade e preço, que cada vez mais ganham espaço e preferência.

O peixe também é vendido para os consumidores na associação. Uma parceria com a prefeitura anda levando grupos de visitas pra represa. Um reforço de 10 a 15% na renda dos pescadores e também um incentivo para o turismo no município.

“Os clientes sempre elogiam esse peixe e está sendo sucesso na cidade; A nossa venda desse produto aumentou cerca de 50% depois que a gente mudou para esse fornecedor”, conta o gerente Tiago Costa.

Fazer um comentário
Comentário
Nome
E-mail