Análise: Santos sofre com “estilo Libertadores”, vê estrelas apagadas e não se impõe na Vila

Análise: Santos sofre com “estilo Libertadores”, vê estrelas apagadas e não se impõe na Vila

Destaque Home

anuncie aqui

No retorno à competição internacional, Peixe empata em 0 a 0 com o Olimpia

A volta do Santos à Libertadores certamente não foi como seus torcedores esperavam. Nesta terça-feira, na Vila Belmiro, o Peixe, líder do grupo G, parou diante do Olimpia, vice-líder. O time comandado pelo técnico Cuca não conseguiu se impor, mostrou dificuldades e empatou em 0 a 0.

Principal jogador do Santos, Marinho foi caçado em campo. Mesmo diante do estilo mais, digamos, “permissivo” dos árbitros em Libertadores, o camisa 11 sofreu sete faltas no empate com o Olimpia. Uma delas, inclusive, rendeu a expulsão de Rojas, volante paraguaio. Poderia ter sido mais.

O estilo de jogo

O estilo “agressivo” do Olimpia dificultou a vida do Santos, que não se adaptou à mudança de estilo de jogo do Campeonato Brasileiro para a Libertadores. Além disso, os principais jogadores do time, como Marinho e Sánchez, não fizeram companhia à boa noite de Soteldo, e o Peixe não conseguiu se impor na Vila Belmiro.

Se contra São Paulo, Vasco, Atlético-MG e Flamengo o Santos encontrou espaço e, mesmo sendo atacado, conseguiu atacar, diante do Olimpia foi diferente. O Peixe encarou, nesta terça-feira, uma equipe muito mais aguerrida e preocupada com a marcação do que os adversários do Campeonato Brasileiro.

O Olimpia foi à Vila Belmiro com a missão de não deixar o Santos jogar – tanto que fez 18 faltas, sete só em Marinho. E conseguiu. Diante da forte marcação adversária, o Peixe teve dificuldades de chegar à área paraguaia.

Em diversos lances, jogadores do Santos ainda ficaram no chão depois de choques, reclamando, mas viram o árbitro mandar o jogo seguir – a diferença de critérios entre Campeonato Brasileiro e Libertadores, sem dúvidas, pesou.

Estrela solitária

Destaque do Santos nas últimas partidas e até “abençoado” por Pelé, Marinho não se encontrou nesta noite na Vila Belmiro. O atacante passou em branco, não criou tantas jogadas de perigo e não conseguiu ajudar o Peixe a sair do zero.

“Inquieto”, sempre em busca do drible, da jogada individual ou da finalização, Marinho foi participativo. Mas sempre bem marcado – e nunca por apenas um adversário.

O mesmo aconteceu com Sánchez. Em uma jogada no primeiro tempo, o meio-campista uruguaio recebeu a bola perto da área do Olimpia cercado por quatro marcadores. Lutou, se debateu, caiu no chão e foi desarmado.

Sem sua dupla mais criativa, o Santos teve dificuldades para entrar na defesa paraguaia pelo meio. Sobrou para Soteldo, pelo lado esquerdo, fazer tudo sozinho. E o venezuelano, que não vivia bom momento, se destacou.

No primeiro tempo, Soteldo fez ótima jogada com Raniel, invadiu a área e chutou na trave. Na segunda etapa, cruzou para Sánchez ajeitar, e o centroavante desperdiçar chance cara a cara com o goleiro paraguaio. O camisa 10, sem dúvidas, foi o melhor santista em campo.

Falta de criatividade

A dificuldade do Santos para furar o bloqueio do Olimpia pode ser traduzida em números. O Peixe tentou 28 cruzamentos para a área adversária e acertou apenas dois durante toda a partida desta terça-feira. Fruto da dificuldade em criar jogadas trabalhadas, pelo chão, com infiltração.

Sem força pelo meio, o Santos abusou de lances pelos lados do campo, mas sem sucesso. Marinho, bem marcado, e Soteldo, solitário, não foram capazes de gerar muito perigo ao Olimpia.

No mapa de calor divulgado pela Conmebol, por exemplo, o segundo tempo foi disputado mais no lado esquerdo do campo de defesa do Santos do que no de ataque, mesmo com o time comandado pelo técnico Cuca tendo mais posse de bola (60% a 40%).

A tradução é simples: o Santos não pressionava a saída de bola do Olimpia e não conseguia sair da marcação dos paraguaios para chegar à área. Nas últimas partidas, o Peixe tinha tido mais espaço – o que não aconteceu nesta terça-feira.

Com o empate, o Santos se mantém na ponta do grupo G da Libertadores, agora com sete pontos (duas vitórias, também). Para sonhar em ir mais longe, porém, o Peixe precisará se readaptar à competição.

Deixe seu voto

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário

    Veja Também

    Log In

    Forgot password?

    Don't have an account? Register

    Forgot password?

    Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

    Your password reset link appears to be invalid or expired.

    Log in

    Privacy Policy

    Add to Collection

    No Collections

    Here you'll find all collections you've created before.