Lembra deles? Série D 2020 tem clubes tradicionais e medalhão com Copa do Mundo no currículo; confira a lista

Lembra deles? Série D 2020 tem clubes tradicionais e medalhão com Copa do Mundo no currículo; confira a lista

A Série D é um reduto de boas histórias e de figuras conhecidas do futebol brasileiro. Jogadores incansáveis, nomes que já estiveram nos principais lugares da vitrine, e times que brilharam na elite nacional e até na Copa Libertadores.

A quantidade de veteranos impressiona na edição 2020, que começa a ser disputada no próximo domingo (fase preliminar). Alguns ficaram conhecidos pelos títulos e outros têm a história marcada pelo carisma. Por isso, o ge dividiu os atletas em dois times: Quilometragem FC e Andarilhos EC. Confira:

Quilometragem FC

O capitão do Quilometragem já levantou taça da Série A e da Copa do Brasil: o goleiro Fernando Henrique, ex-Fluminense e Ceará, que hoje defende o Brasiliense. A equipe também conta com a qualidade técnica do meia Douglas, ex-Corinthians e Grêmio, e o faro de gol amoroso do atacante Zé Love, ex-Santos e Palmeiras. O reforço mais recente é o lateral-direito Maicon, anunciado pelo Villa Nova-MG. O currículo do jogador é pesado e tem a conquista da Liga dos Campeões com a Inter de Milão e a disputa da Copa do Mundo de 2010.

Na área técnica do Quilometragem, no esquema 4-3-3, o técnico é Alexandre Gallo, comandante do São Caetano.

Quilometragem FC: Fernando Henrique (Brasiliense); Maicon (Villa Nova-MG), Gladstone (Vitória-ES), Bruno Aguiar (Novorizontino) e Wellington Saci (Joinville); Amaral (Moto Club), Douglas (Brasiliense), Marquinhos (Bahia de Feira); Magno Alves (Atlético-BA), Zé Love (Brasiliense) e Jobson (Campinense).

Andarilhos EC

Andarilhos EC não fica para trás. Quem lidera o grupo é o xerifão Domingos, aquele mesmo ex-Santos e Grêmio, hoje no São Caetano. Na organização do meio-campo, aparece o volante Marcelo Mattos, ex-Corinthians e Botafogo, atualmente no Bangu.

Na frente, o atacante predestinado que em 2012 deu o título da Copa do Brasil ao Palmeiras: Betinho, jogador do Altos-PI. Quem comanda a “rapaziada” no esquema 3-4-3 é o treinador rei do acesso Flávio Araújo (River-PI).

Andarilhos EC: Bruno (Rio Branco-AC); Domingos (São Caetano), Edson Silva (Novorizontino) e Emerson (Gama); Radamés (Brasiliense) Marcelo Mattos (Bangu), Edno (Brasiliense) e Marcos Aurélio (Brasiliense); Neto Baiano (Brasiliense), Nunes (Gama) e Betinho (Altos-PI).

Passado glorioso

Além dos medalhões do futebol brasileiro, a quarta divisão também abriga clubes que tiveram seus momentos de glória. O América-RN, por exemplo, é o clube da competição que mais disputou a primeira divisão: 15 vezes. Já o rival ABC – que vai disputar a Série D pela primeira vez – figurou 14 vezes na elite.

O carioca Bangu chegou a conquistar o vice-campeonato da Série A, em 1985, mas vai para a segunda participação na D. E o São Caetano? O Azulão disputou a elite em sete oportunidades e chegou a ser vice-campeão da Libertadores em 2002.

De Pernambuco vem o time que mais jogou a Série D. O Central vai para a décima participação e só ficou de fora em 2011 e 2012. Mas, a Patativa também já teve seus momentos de sucesso e disputou a primeira divisão nacional em 1979 e 1986.

O Brasiliense esteve na elite em 2005 e chegou a ser vice-campeão da Copa do Brasil em 2002, mas vai para a competição pela quarta vez. O rival Gama esteve na Série A por seis vezes, a primeira em 1979 e a última em 2002.

O Joinville é o último clube da quarta divisão que esteve na Série A, em 2015. Antes disso, os catarinenses estiveram na elite em outras 11 participações. Por fim, o Caxias. A equipe gaúcha disputou a primeira entre 1976 e 1979.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário