Benny Gantz recebe missão de formar novo governo de Israel após desistência de Netanyahu

Benny Gantz recebe missão de formar novo governo de Israel após desistência de Netanyahu

Oposicionista terá 28 dias para negociar uma maioria no Parlamento, onde deverá costurar coalizão de 61 parlamentares. Caso contrário, o país pode passar por novas eleições.

O ex-chefe militar Benny Gantz, do partido Azul e Branco, recebeu nesta quarta-feira (23) a tarefa de formar novo governo de Israel após o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu desistir da missão.

O líder oposicionista, agora, terá 28 dias para negociar uma maioria de 61 assentos no Parlamento. Caso não consiga, Israel terá novas eleições – provavelmente o terceiro pleito em menos de um ano (leia mais no fim da reportagem).

É a primeira vez desde 2008 que Netanyahu fica de fora da tarefa de formar o governo. O atual primeiro-ministro – que se mantém no cargo enquanto não houver definição – não conseguiu manter maioria pela segunda vez consecutiva.

Gantz recebeu a tarefa em uma cerimônia transmitida ao vivo com o presidente de Israel, Reven Rivlin – que não tem papel no governo israelense, país parlamentarista.

“Todos esperam que nós coloquemos um fim absoluto nesse caos político”, disse.
Por enquanto, Gantz tem apoio de 54 parlamentares. Faltariam sete para consagrar uma maioria definitiva no Knesset, o Parlamento israelense.

O presidente Rivlin chegou a propor uma ampla coalizão entre os partidos de Gantz e Netanyahu. Os dois líderes chegaram a admitir a possibilidade, mas as siglas não fecharam nenhum acordo – sobretudo diante das denúncias de corrupção que recaem no atual premiê.

Entenda por que países como Israel não conseguem formar governo
Ainda assim, representantes do partido Azul e Branco devem se encontrar com lideranças do Likud na quinta-feira. Em discurso nesta quarta, Gantz inclusive elogiou Netanyahu, a quem chamou de “patriota”.

“Está claro para nós que os resultados eleitorais e a situação legal exigem mudanças. Junto com você [Netanyahu] e outras boas pessoas no Likud, devemos agir com responsabilidade.”
Impasse em Israel

Sem maioria, os israelenses voltaram às urnas em setembro. Mais uma vez, nenhum partido conseguiu sozinho os 61 assentos. O presidente Reuven Rivlin deu a Netanyahu a tarefa de tentar mais uma vez formar o governo. Entretanto, o primeiro-ministro acabou desistindo.

Pesa contra Netanyahu denúncias de corrupção.

O premiê provavelmente será formalmente acusado nas próximas semanas, o que afasta a aproximação com setores mais flexíveis do Azul e Branco nas tratativas de um possível governo de maioria.

Fazer um comentário
Comentário
Nome
E-mail

Está Usando um Bloqueador?

Olá! Nosso site exibe anúncios, se você estiver com o bloqueador de anúncios ativado não irá conseguir ver o site de forma correta. Por favor, desabilite o bloqueador. Obrigado!