Arujá inaugura Delegacia de Defesa da Mulher nesta segunda-feira

Arujá inaugura Delegacia de Defesa da Mulher nesta segunda-feira

A delegacia fica localizada na Praça Bartolomeu Bueno, 7 – Centro, ao lado da Delegacia Central. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h.

As mulheres de Arujá contam com uma Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), inaugurada nesta segunda-feira (22). O serviço fica na Praça Bartolomeu Bueno, 7 – Centro, ao lado da delegacia central. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h.

A delegada titular da delegacia, Vanessa Chagas, informa que os atendimentos são voltados a pessoas que se identifiquem com o gênero feminino, incluindo mulheres trans, vítimas de violência doméstica, assim como crianças e adolescentes.

“Além do serviço clássico de polícia que nós temos a obrigação de oferecer, a minha ideia é implementar também um acolhimento a vítima, para que ela se sinta à vontade de vir, de procurar ajuda, de ter a sua necessidade atendida e de receber um atendimento empático, que eu acho que é o principal”, diz.

Além da recepção com espaço para as crianças, o local tem a “sala lilás” onde será feito o acolhimento das vítimas. A Prefeitura também vai atuar no espaço, na sala de assistência social, já a OAB dará apoio jurídico.

Anúncio Patrocinado

O local também conta com a sala de escuta, onde as câmeras são monitoradas para analisar o comportamento de crianças vítimas de abuso.

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, em 2019 foram registradas 34 ocorrências de feminicídio na região metropolitana, já em 2020 foram 33 registros.

Segundo especialistas, a queda no número das ocorrências se deve ao fato que muitos casos não são registrados. Um exemplo desse levantamento é o caso da designer Maria Aparecida de Oliveira, que contou que já passou por uma situação como essa e precisou ir até Suzano, porque na cidade em que mora não tinha delegacia especializada no direito da mulher. “Acredito que vá ajudar as mulheres que precisam a correr atrás dos seus direitos”, diz.

“Com uma delegacia local especializada a gente imagina que dê uma força ainda maior para a queda desse número de subnotificações. Nós estamos à disposição para atender todo mundo que sentir necessidade, prometemos um atendimento acolhedor e, na medida do possível, tentar resolver esses problemas”, completa a delegada Vanessa Chagas.

Anúncio Patrocinado
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Artigos Relacionados

Outras Notícias

Alto Tietê Online Receba novidades e notificações na tela do seu dispositivo.
Não
Permitir Notificações