Cidades do Alto Tietê preveem retorno das aulas em formato 100% presencial e preparam estratégias para vacinação de crianças contra Covid-19

Cidades do Alto Tietê preveem retorno das aulas em formato 100% presencial e preparam estratégias para vacinação de crianças contra Covid-19
COMPARTILHE
PUBLICIDADE

De acordo com as prefeituras, diferentemente de 2021, não deve haver aula remota ou em formato híbrido. Maioria das cidades diz também que está preparada para aplicar o imunizante contra coronavírus em crianças logo que as doses forem liberadas.

As aulas devem retomar de forma presencial, na maioria das escolas municipais do Alto Tietê, a partir de fevereiro de 2022. As informações foram encaminhadas pelas prefeituras, que também disseram ter estratégias para iniciar a imunização das crianças assim que for liberada pelos governos Federal e Estadual.

O levantamento inclui respostas das cidades de Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá e Suzano. Arujá, Biritiba Mirim, Salesópolis e Santa Isabel também foram questionados sobre a volta às aulas e vacinação do público infantil, mas não enviaram respostas ao g1.

De acordo com as Secretarias de Educação, diferentemente do que ocorreu até o final de 2021, a rede municipal não prevê a oferta de aulas à distância ou em formato híbrido neste ano. Dessa forma, as atividades escolares devem ser realizadas dentro das unidades, presencialmente, em dias e horários normais (confira abaixo as respostas por cidade).

Com relação à imunização de crianças entre 5 e 11 anos, as Secretarias de Saúde de Ferraz de Vasconcelos, Mogi das Cruzes, Poá e Suzano informaram que estão preparando estratégias para aplicar as doses logo que as vacinas forem disponibilizadas. Guararema e Itaquaquecetuba disseram que os planos dependem da programação estadual.

Estratégia estadual para vacinação

Nesta quarta-feira (5), o Governo do Estado de São Paulo anunciou que pretende vacinar todas as crianças com idades de 5 a 11 anos em três semanas. A imunização com a Pfizer foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 16 de dezembro, mas ainda não foi autorizada pelo Ministério da Saúde.

“O Governo do Estado tem pronto seu plano para a vacinação de todas as crianças de São Paulo na faixa de 5 a 11 anos em 3 semanas. […] Temos a vacina infantil contra Covid-19 aprovada há quase 1 mês pela Anvisa, e não termos a vacina é entristecedor e diria até revoltante”, disse o governador João Doria (PSDB).

Para especialistas, a imunização desse grupo é essencial não só para conter a pandemia, mas também para proteger as crianças diante do surgimento de novas variantes.

Segundo a gestão estadual, o plano permite a aplicação em 250 mil crianças por dia em 5,2 mil postos. A vacina também deve ser feita em, pelo menos, 268 escolas estaduais cadastradas.

Confira as respostas das prefeituras sobre a volta às aulas e vacinação de crianças

Ferraz de Vasconcelos

A Prefeitura informou que, a princípio, será adotada a última resolução de 2021. A medida prevê retorno 100% presencial e mantém protocolos sanitários, como o uso obrigatório de máscara e disponibilização de álcool em gel em todas as atividades.

Até o final do ano passado, os estudantes frequentavam a escola cinco vezes por semana. A Secretaria Municipal de Educação informou que pretende “manter 100% presencial, se assim a legislação vigente no início das aulas permitir”.

Já a Secretaria Municipal de Saúde informou que está preparada para a imunização das crianças e que possui um planejamento estratégico para contemplar esse público. ”Iremos contar com a parceira da Secretaria de Educação e sua estrutura para facilitar o acesso dessa população, com o objetivo de agilizarmos o processo de imunização”.

Guararema

Questionada sobre as definições para retorno das aulas, a Prefeitura de Guararema respondeu que todas as escolas municipais terão funcionamento regular a partir do dia 9 de fevereiro. A medida segue o artigo 2 do decreto nº 4129/2021, caso haja aprovação do Comitê Administrativo Extraordinário Municipal Covid-19.

Ainda de acordo com a Secretaria Municipal de Educação, no segundo semestre de 2021, os alunos matriculados na educação infantil e ensino fundamental passaram a frequentar a escola de segunda a quinta-feira, mediante autorização dos responsáveis legais.

Já os estudantes cujas famílias optaram pelo ensino remoto, participam de aulas síncronas e/ou assíncronas de segunda a quinta-feira. Na sexta-feira, para os dois grupos, o dia foi voltado para a aprendizagem baseada em projetos, quando desenvolvem atividades com autonomia, por meio do Google Classroom ou outras ferramentas digitais.

Sobre a vacinação, a cidade informou que vai seguir as orientações técnicas expressas no Plano Estadual de Imunização (PEI), do Governo do Estado de São Paulo.

Itaquaquecetuba

Em Itaquaquecetuba, a volta às aulas está prevista para o dia 7 de fevereiro, segundo o Conselho Municipal de Educação. A Secretaria Municipal de Educação informou que a previsão é de retorno presencial com 100% dos estudantes, mas que está avaliando o avanço das variantes da Covid-19. A decisão final será dada no fim de janeiro.

Até o momento, a Prefeitura não tem a pretensão de manter o ensino remoto ou híbrido. “Entretanto, não descartamos a possibilidade de alternância entre as modalidades de atendimento, uma vez que a pandemia ainda persiste. Estamos preparando nossas escolas e profissionais para atuarem em ambas as situações”.

Até o final de 2021, os estudantes da rede municipal de Itaquaquecetuba tinham aulas presenciais quatro vezes por semana e um dia remoto. Agora, a expectativa é de atendimento de segunda a sexta-feira em horário normal.

Sobre a imunização do público infantil, a Prefeitura disse que a estratégia depende da programação estadual, “sobretudo em cima do informe técnico que nos direciona e que, até o momento, não foi liberado”.

Mogi das Cruzes

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, desde novembro de 2021, as escolas e creches da rede municipal de ensino adequadas ao protocolo sanitário atendem 100% da capacidade das turmas de segunda a sexta-feira e sem a necessidade de distanciamento mínimo.

Para esse ano, a retomada deve ter como base os impactos negativos da pandemia na aprendizagem dos estudantes e a melhora significativa nos índices epidemiológicos do município. “Apenas crianças com comorbidades (que ainda não receberam a vacina) continuarão em atividades remotas”, disse.

Já segundo a Secretaria Municipal de Saúde, na próxima quarta-feira (12) deve ser iniciada a capacitação para equipe do drive-thru e das unidades de saúde que fazem a imunização. O esquema será um preparatório para vacinação contra o Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.

“Esta capacitação seguirá as recomendações técnicas. Já há informações do Governo do Estado de que esta imunização deve começar na segunda quinzena de janeiro, mas a data específica ainda não foi informada”, destacou a pasta.

Poá

A Secretaria de Educação de Poá informou que a previsão de retorno às aulas é no dia 1º de fevereiro, de forma totalmente presencial. O formato demonstra uma flexibilização na comparação com o fim de 2021, quando dos alunos foram divididos em duas turmas e passaram a ter quatro dias presenciais e um remoto.

A Prefeitura informou também que a vacina estará à disposição da população da nova faixa etária, assim que liberado pelo Governo Estadual, em todas as Unidades de Básicas de Saúde (UBS) do município.

Suzano

As aulas na rede municipal de ensino de Suzano serão retomadas em 7 de fevereiro de 2022. A expectativa é de que as turmas retornem com 100% das atividades presenciais, seguindo os devidos protocolos de combate à Covid-19, tais como o uso obrigatório de máscara e a frequente higienização das mãos. De acordo com a Prefeitura, até o final de 2021, as atividades presenciais seguiram com 75% do público presente, com adoção do módulo híbrido.

Com relação à vacina, o município informou que já conta com a campanha de imunização contra a Covid-19 estruturada junto às 24 Unidades Básicas de Saúde. “Assim que houver a liberação e as devidas orientações do Governo do Estado, o acolhimento deve acontecer conforme o modelo adotado na cidade. Vale lembrar que, em dezembro, Suzano alcançou com a primeira dose 100% do público apto estimado”, pontuou a administração.

ASSUNTOS
COMPARTILHE
VEJA TAMBÉM
MAIS NOTÍCIAS