Homem é baleado na frente do filho de 5 meses durante briga de trânsito em Mogi das Cruzes

Homem é baleado na frente do filho de 5 meses durante briga de trânsito em Mogi das Cruzes

Um homem de 25 anos foi baleado na frente da esposa e do filho de 5 meses durante uma briga de trânsito, em Mogi das Cruzes, na noite de domingo (4). Segundo a polícia, o atirador foi um administrador financeiro de 28 anos, que foi preso em flagrante.

A polícia informou que por volta das 19h, o auxiliar de estoque abordou o administrador financeiro no cruzamento das ruas Frederico Straube e Francisco Assis Monteiro de Castro, na Vila Oliveira.

O vídeo de uma câmera de monitoramento mostra que a vítima, Ricardo de Oliveira Penha Soares, desceu do veículo e foi até a janela do outro motorista, Iago Alves de Oliveira.

Pouco tempo depois, a mulher da vítima se aproxima com o bebê no colo. Em meio à discussão e sem descer do carro, Iago dispara e a vítima cai. A mulher se desespera e o atirador, sem se aproximar da vítima, pega o celular e espera no local.

Ainda com o filho no colo, a esposa da vítima tentou estancar o sangue do marido com as mãos até a chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Anúncio Patrocinado

Um boletim de ocorrência por tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil foi registrado na Central de Polícia Judiciária, onde o administrador estava preso até o final da manhã desta segunda-feira (5). A pistola calibre 380 tem documentos e pertence ao suspeito.

A vítima foi levada para o Hospital Luzia de Pinho Melo onde foi internada em estado grave. A Secretaria Estadual da Saúde não havia atualizado o estado de saúde do baleado até a publicação da reportagem. No boletim de ocorrência consta que policiais militares tiveram na unidade, onde foram informados que a situação é gravíssima, porque o disparo atingiu a região do pescoço, traqueia, coluna cervical. Segundo o relato aos policiais, a vítima corre risco de morte e pode ficar paraplégica.

Na manhã desta segunda-feira, a reportagem da TV Diário conversou com os advogados dos dois homens envolvidos na ocorrência. O advogado da vítima, Gustavo Arzabe, deu sua versão sobre os fatos.

“Por volta de 18h50, houve um quase acidente na rua Capitão Manoel Rudge, na Vila Oliveira. A vítima quase foi atingida pelo carro do investigado, uma Land Rover, então a vítima perseguiu o investigado para saber o motivo de ele estar tão apressado. No momento em que ele desceu do veículo e foi falar com o investigado, o investigado sacou uma arma, uma pistola, houve uma brevíssima discussão. A vítima segurou o cano da pistola que estava apontada para ele, disse que era pai de família, e assim que ele falou que era pai de família, o réu falou que também era pai de família e disparou. O tiro acabou atingindo o pescoço da vítima, que no momento está passando por cirurgia, em estado bem grave”, falou o advogado de Ricardo.

“Ele (Iago) tem certificado de registro de atirador esportivo. Isso não significa que você possa andar armado. O atirador esportivo é a pessoa que pode ter a arma para ir para um estande de tiro, para ir para um clube de tiro e retornar para sua casa com ela. Mas isso não permite que ninguém ande durante finais de semana, durante a noite, com a arma como se fosse um porte”, explica.

Anúncio Patrocinado

O advogado de defesa, Odair Alves, foi questionado sobre o motivo de Iago estar portando a arma no momento da ocorrência. Segundo o advogado, Iago iria se encontrar com amigos para ir para um clube de tiro em São Paulo. Ele também deu sua versão sobre o caso.

“Porque ele ia para um clube em São Paulo, porque o único clube que está funcionando é em São Paulo. Os clubes aqui da região, por causa da pandemia, não estão funcionando. Então, no posto do Aruã, tinha mais três pessoas aguardando para irem para o clube de São Paulo”, disse o advogado de Iago.

“Eu fui acionado ontem, por volta das 19h30, para comparecer ao local. Lá a gente conseguiu uma imagem da câmera que fica de frente ao local, e confirmou com a mesma versão dos fatos, que o Iago tinha falado para a Polícia Militar no local. Ele vinha com o carro na Frederico Straube. Um outro veículo veio, parou uns cinco metros na frente, o rapaz desceu, bastante exaltado, deu primeiro um soco de esquerda nele, depois deu um de direita. Ele falou que não queria confusão, para o cara ir embora, mas com a arma em punho. O cara fez menção de que pôs a mão para baixo e de repente pulou na arma. Aí o Iago disparou na hora que ele puxou a arma”.

Assim que soube o que aconteceu, a mãe de Ricardo, Joelma Soares, saiu da cidade de São Paulo, onde mora, e foi até a delegacia, em Mogi das Cruzes.

“Eu estou aqui por justiça, porque ele não vai sair daqui. Ele vai sair daqui direto para a cadeia, porque ele tem que pagar pelo que ele fez. Ele fez isso com um pai de família. Uma hora dessa, era para meu filho estar trabalhando. E se ele acerta o tiro na minha nora, no meu neto? Isso é um absurdo. Tem que ter justiça. E eu vou lutar por justiça até o fim”, disse a mãe.

Anúncio Patrocinado

A polícia pediu a conversão da prisão do suspeito em flagrante para prisão preventiva.

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Artigos Relacionados

Outras Notícias

Alto Tietê Online Receba novidades e notificações na tela do seu dispositivo.
Não
Permitir Notificações