Sobe para 41,9% no volume de exportações no primeiro trimestre no Alto Tietê

Sobe para 41,9% no volume de exportações no primeiro trimestre no Alto Tietê

De janeiro a março, a região acumulou US$ 243,2 milhões exportados. Importações também avançaram nesse período em comparação com o ano passado.

Continua após a publicidade

O volume de exportações do Alto Tietê teve uma alta de 41,9% no primeiro trimestre de 2022, na comparação com o mesmo período do ano passado. De janeiro a março, a região acumulou US$ 243,2 milhões exportados, enquanto em 2021 o índice ficou em US$ 171,3 milhões.

As informações são do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), com base no levantamento feito em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Também houve um resultado positivo nas importações, que avançaram em 17,6% em relação ao ano anterior.

No acumulado dos três primeiros meses do ano, os setores que se destacaram na exportação foram o de máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos que enviaram para fora do país US$ 60,2 milhões, o que representa 24,7% do total exportado, seguido por papel e cartão com US$ 46,6 milhões (19,2%).

As máquinas, aparelhos e materiais elétricos exportaram cerca de US$ 20,0 milhões, representando 8,2% do total. Ainda de acordo com o levantamento, no período, os principais parceiros econômicos foram Estados Unidos, Argentina, Chile e Bélgica.

Já do lado das importações, o Alto Tietê somou US$ 413,4 milhões. Os principais produtos comprados foram máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (21,9%), veículos automóveis, tratores (17%) e produtos farmacêuticos (11,7%). A origem dos produtos foi principalmente da China, Japão, Alemanha e Estados Unidos.

Sinais de recuperação
Em todo o estado de São Paulo, as exportações chegaram a US$ 15,7 bilhões, uma evolução de 33,8% se comparado com o resultado de US$ 11,7 bilhões do primeiro trimestre de 2021. De janeiro a março, o nível de importação foi de US$ 17,6 bilhões, uma alta de 12,3% em relação aos US$ 15,7 bilhões do ano anterior.

O diretor do Ciesp Alto Tietê, José Francisco Caseiro, ressalta que os resultados são importantes para a recuperação do setor na Região. “O aumento dos índices da balança comercial mostra que a indústria está produzindo mais, o que gera mais empregos e colabora para a recuperação econômica”, observa.

Já o presidente do Ciesp, Rafael Cervone, lembra que as indústrias paulistas interessadas em prospectar o mercado internacional contam com serviço especializado da entidade para ajudá-las. “Promovemos o desenvolvimento de estudos e análises dos problemas da atividade exportadora e seus reflexos na indústria e orientamos sobre a sistemática de comércio exterior, bem como os aspectos administrativos, fiscais, financeiros e cambiais”, acrescenta.

O diretor Caseiro destaca ainda, que o Ciesp Alto Tietê oferece o serviço de emissão do Certificado de Origem, documento obrigatório para quem quer comercializar seus produtos no exterior. “O serviço garante tranquilidade e segurança para as indústrias, além de abrir um leque de oportunidades”, analisa.

Veja mais notícias como esta em Alto Tietê