Um gesto de amor ao próximo. O Ministério da Saúde lançou, nesta terça-feira (14), a campanha nacional de doação sangue, com o slogan “Doe sangue regularmente. Você doa, a vida agradece”. A data celebra o Dia Mundial do Doador de Sangue. O objetivo é manter a doação regular para garantir a manutenção dos estoques em todo país.

Durante a cerimônia de lançamento, no auditório da Pasta em Brasília, o ministro da Saúde substituto, Arnaldo Medeiros, reforçou a importância da campanha. “Se existe uma campanha anual que muito me sensibiliza é exatamente a campanha de doar sangue. Eu acho que é uma das mais significativas que nós temos no nosso calendário porque nos estimula a lutar cada vez mais nessa perspectiva de que, efetivamente, sangue é vida”, disse.

Em 2022, o Ministério da Saúde investiu R$ 1,8 bilhão nos Serviços de Hematologia e Hemoterapia públicos do país. Os recursos foram destinados à estruturação da rede nacional, modernização das unidades e qualificação dos profissionais, além do fornecimento de medicamentos aos pacientes portadores de doenças hematológicas. No ano passado, os recursos para a rede somaram R$ 1,6 bilhão.

Em 2021, o registro de coletas de sangue no SUS aumentou em 2,6% quando comparado a 2020. Foram pouco mais de 3 milhões de doações realizadas no ano passado. Em 2022, até março, foram coletadas cerca de 732 mil bolsas em todo país. Ainda em 2021, 14 a cada mil habitantes eram doadores de sangue, o que corresponde a 1,4% da população brasileira.

“Um adulto tem hoje cerca de cinco litros de sangue correndo nas nossas veias e durante uma doação você pode retirar até 450 ml de sangue. Isso se repõe em 24 horas no nosso organismo. É muito importante propagar essa informação” explicou a secretária de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde, Maíra Botelho.
O Ministério da Saúde acompanha diariamente o quantitativo de bolsas de sangue em estoque nos maiores hemocentros estaduais. Caso necessário, o Plano Nacional de Contingência do Sangue é utilizado, possibilitando o remanejamento de bolsas de sangue de outros estados para aqueles com maior dificuldade.

A exemplo disso, recentemente, devido as enchentes causadas pelas chuvas nas últimas semanas, o Hemocentro de Pernambuco (HEMOPE) utilizou o Plano Nacional de Contingência do Sangue. Neste caso, seis estados enviaram, com o apoio do Ministério da Saúde, 767 bolsas de sangue. Segundo a Secretaria de Atenção Especializada à Saúde, cada doação pode salvar até quatro vidas.

Saiba os critérios básicos para doar sangue

• Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos devem possuir consentimento formal do responsável legal); Pessoas com idade entre 60 e 69 anos só poderão doar sangue se já o tiverem feito antes dos 60 anos.
• Apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Carteira Nacional de Habilitação, Carteira de Trabalho, Passaporte, Registro Nacional de Estrangeiro, Certificado de Reservista e Carteira Profissional emitida por classe); serão aceitos documentos digitais com foto.
• Pesar no mínimo 50 kg;
• Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;
• Estar alimentado. Evitar alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação de sangue. Caso seja após o almoço, aguardar 2 horas.

Critérios que impedem a doação

• Período gestacional;
• Período pós-gravidez: 90 dias para parto normal e 180 dias para cesariana;
• Amamentação: até 12 meses após o parto;
• Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
• Tatuagem e/ou piercing nos últimos 12 meses (piercing em cavidade oral ou região genital impedem a doação);
• Extração dentária: mínimo de 72 horas;
• Transfusão de sangue: mínimo de 1 ano;
• Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina;
• Exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses;

Doação de sangue e Covid-19

• Se tem diagnóstico de COVID-19, após 10 dias da recuperação total dos sintomas, a doação está liberada;
• Se está assintomático, mas testou positivo para COVID-19, após 10 dias de realizar o teste, a doação está liberada;
• Se teve contato com pessoa com COVID-19, após 7 dias do último contato com a pessoa, a doação está liberada.

A doação de sangue também é tema do Boletim Temático da Biblioteca do Ministério da Saúde, publicado nesta terça (14), com orientações importantes para os doadores. Para saber mais, acesse aqui.

Fonte: Ministério da Saúde