Enquanto o público vasculha o feed do Twitter de Elon Musk em busca de pistas sobre como o empresário bilionário pretende administrar a plataforma de mídia social que está comprando por US$ 44 bilhões, um ponto misterioso se destaca: “verificar todos os humanos reais”, dito em sua publicação após o anúncio da compra.

Essa proposta enigmática é vaga o suficiente para manter as pessoas adivinhando o que Musk tem em mente, mas específica o suficiente para oferecer vários caminhos possíveis enquanto ele procura moldar o Twitter mais ao seu gosto.

Por exemplo, Musk poderia tentar exigir nomes reais nas contas. Ou talvez ele continue a permitir pseudônimos, mas exija identificação com foto ou integração com serviços de terceiros onde os usuários já são conhecidos.

Dependendo do resultado, o plano pode ter grandes ramificações para as centenas de milhões de usuários do Twitter.

A vontade de Musk de “autenticar” os usuários do Twitter decorre de uma de suas maiores preocupações com a plataforma: contas de spam, particularmente aquelas que promovem golpes de criptomoedas. Muitas vezes não é difícil encontrar essas contas à espreita nas respostas aos tweets de Musk; muitos até tentam negociar sua celebridade e atrair os desavisados ​​​​representando-o.