Perto de completar dois meses, a Campanha de Vacinação contra a Influenza atingiu 44% do público que é composto por 77,9 milhões de brasileiros. Dentre eles estão crianças entre seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, indígenas, idosos e professores. A mobilização está na segunda fase.

Ao todo, o Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, distribuiu cerca de 80 milhões de doses de vacinas contra a gripe. Dessas, 27,7 milhões foram aplicadas até o momento. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, faz um convite à população para que os índices de imunização contra a doença subam no Brasil.

“Os pressupostos para o sucesso das campanhas de vacinação são absolutamente atendidos no nosso País: nós temos vacinas, temos uma capacidade sem precedentes de aplicar essas vacinas, graças aos vacinadores que estão nas mais de 38 mil salas de vacinação do Brasil. Por isso, pedimos às pessoas que não deixem de buscar a imunização”, disse.

Este ano, além da vacina contra a gripe, as crianças e os trabalhadores de saúde também devem tomar a vacina contra o sarampo. A meta é vacinar todas as crianças contra o Sarampo de forma indiscriminada, mesmo que já tenham recebido o imunizante, além de atualizar a caderneta dos trabalhadores de saúde.

A segunda etapa da campanha contra a Influenza vai até 3 de junho. Ela é destinada aos seguintes públicos:

• Crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias);
• Gestantes e puérperas;
• Povos indígenas;
• Professores;
• Pessoas com comorbidades;
• Pessoas com deficiência permanente;
• Forças de segurança e salvamento e Forças Armadas;
• Caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso;
• Trabalhadores portuários;
• Funcionários do sistema prisional;
• Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
• População privada de liberdade.

Por que eu devo me vacinar?

O objetivo da imunização é prevenir a gripe e proteger as pessoas com maior risco de desenvolver complicações. No caso do sarampo, trata-se de uma doença viral aguda altamente transmissível que pode apresentar complicações, principalmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. Para os dois casos, a vacina é segura e evita óbitos.