Guarulhos irá fechar comércio entre novas medidas contra o coronavirus

Guarulhos irá fechar comércio entre novas medidas contra o coronavirus
COMPARTILHE
PUBLICIDADE

Só funcionarão estabelecimentos essenciais, como supermercados e farmácias

Em reunião com organizações ligadas ao comércio, hotelaria e gastronomia, na tarde desta quinta-feira, 18/03, o prefeito Guti anunciou que decretará o fechamento de vários setores do comércio de Guarulhos ainda nesta quinta. O prefeito estava ao lado de vários secretários e informou que o prazo determinado para o fechamento será de 30 dias, sob pena de autuação e até cassação de licença, em caso de reincidência. CONFIRA A ÍNTEGRA DO DECRETO

“O momento é de se estabelecer um pacto pela vida. A situação é alarmante e, apesar de sermos sensíveis às perdas que os empresários terão, é essencial estabelecer medidas drásticas agora. Se tivermos prejuízos, é preferível que eles sejam econômicos e financeiros, e não de vidas”, disse Guti, que sinalizou com a possibilidade de paralisação total dos ônibus municipais a partir da próxima semana, no dia 27. “Setores essenciais e de abastecimento, como supermercados, farmácias e feiras-livres, funcionarão normalmente. Mas outros terão que fechar”, afirmou o secretário da SDCETI, William Paneque.

No dia anterior, a Prefeitura já havia decretado a “recomendação” de fechamento para setores como restaurantes, bares, buffets, casas de show, hotéis, motéis, bancos, igrejas, shoppings e concessionárias. “A cada dia alteramos as medidas de acordo com a evolução da pandemia. Estamos diante de um inimigo invisível e imprevisível”, apontou o secretário de Justiça, Airton Trevisan. “Temos a vantagem de estar acompanhando a evolução em países nos quais o coronavírus chegou antes. Por isso, estamos aprendendo com os erros dos outros e fazendo de tudo para que soframos o menos possível”, explicou o secretário de Governo Edmílson Americano.

Entidades

Todos os representantes de entidades que participaram da reunião demonstraram contrariedade com a real possibilidade de impacto negativo no faturamento, mas se mostraram abertos a discutir as possibilidades de amenização diante do quadro cada dia mais alarmante.

O vice-presidente Jurídico da ACE-Guarulhos, Alonso Álvares, sugeriu que alguns setores tenham seus casos estudados pontualmente. “É temerária a situação das empresas, principalmente as pequenas, mas o momento exige essa ação. Importante foi a Prefeitura abrir espaço para o diálogo e possíveis flexibilizações”, apontou.

“Estou com alta ocupação e ainda não sei como fazer com os hóspedes, principalmente os que chegam do aeroporto. Precisamos nos preocupar com a suspensão de novas reservas”, lembrou a presidente do GRU Convention, Giselle Soeiro.

Participaram da reunião representantes da ACE-Guarulhos, Sincomércio, Sindicato dos Empregados no Comércio, GRU Convention, bares e restaurantes, e os secretários de Governo, Edmílson Americano, de Saúde, José Mario, de Justiça, Airton Trevisan, de Desenvolvimento Urbano, Jorge Taiar, e da SDCETI, William Paneque.

ASSUNTOS
COMPARTILHE
MAIS NOTÍCIAS
OUTRAS NOTÍCIAS