Registros de novos casos de Covid-19 voltam a subir em Guarulhos em janeiro

Registros de novos casos de Covid-19 voltam a subir em Guarulhos em janeiro

Desde 10 de dezembro, os dados oficiais sobre Covid-19 foram prejudicados após ataques hackers ao sistema do Ministério da Saúde. De lá para cá, as informações divulgadas tanto pelo Governo do Estado como pelo Município não são precisas, com alguns períodos sem registros de óbitos e novos casos. Mesmo assim, com a retomada do sistema, algumas informações voltam a ter valor para registro histórico.

Depois de muitos dias com registros baixos de novos casos, apesar do aumento nos atendimentos médicos para Covid-19 e síndromes respiratórias, o sistema do Seade, que presta informações diárias com dados do Governo do Estado, há um aumento considerável de novos casos de Covid-19 em Guarulhos. Na última terça-feira, 18, foram registrados 128 novos casos no município. Desde 5 de dezembro, quando 306 casos subiram para o sistema, o número não era tão alto.

Desta forma, a média móvel de novos casos por dia subiu para 45 nesta quarta-feira, 19, quando passou várias semanas na casa dos 10 a 20 casos por dia, portanto mais do que o dobro. Mesmo assim, sabe-se que as confirmações de novos casos podem ser muito maiores, já que há falta de testes tanto no setor público como privado. Ou seja, há pessoas infectadas assintomáticas ou como sintomas fracos que acabam não entrando nestas estatísticas.

Leia também:  Guarulhos: 60 gatos são resgatados em estado de abandono em casa na Vila Augusta

Há um ano, quando a doença apresentava um crescimento exponencial, na chamada segunda onda, a média móvel já era três vezes maior da registrada agora, ficando acima de 150 em 19 de janeiro. Mas vale frisar que naquele momento o Brasil estava apenas iniciando o processo de vacinação contra a Covid-19. Hoje, Guarulhos exibe números bastante positivos de imunização, com praticamente 100% da população alvo com a primeira dose e perto de 90% com o processo completo (primeira e segunda doses). Mais de 20% da população também já se imunizou com a dose de reforço.