Dupla suspeita de ‘pescar’ envelopes de caixa eletrônico é presa em Mogi

Dupla suspeita de ‘pescar’ envelopes de caixa eletrônico é presa em Mogi
COMPARTILHE
PUBLICIDADE

De acordo com a polícia, rapazes de 22 anos usavam dispositivo chamado de ‘jacaré’ para furtar depósitos de clientes. Após o crime, PM apreendeu envelopes com R$ 850 e cheque.

Dois homens de 22 anos foram presos neste domingo (5) por suspeita de furtar envelopes de um caixa eletrônico em Mogi das Cruzes. De acordo com o boletim de ocorrência, a dupla usava um dispositivo chamado “jacaré” para pescar os depósitos de clientes.

Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que, apesar do crime, “a agência está funcionando normalmente nesta segunda-feira (6) para atendimento ao público, das 11h às 16h” e que colabora com as investigações.

O caso foi em uma agência da Avenida Voluntário Pinheiro Franco, na região central, por volta das 13h. Os policiais militares contaram na delegacia que faziam um patrulhamento quando foram informados de que dois rapazes estavam tentando furtar envelopes de um caixa eletrônico.

Quando chegaram ao local, os agentes viram os suspeitos na porta da agência e ordenaram que se deitassem no chão. Um deles obedeceu, mas o outro teria fugido. Um PM chegou a perdê-lo de vista, mas logo foi informado de que ele havia sido abordado na Rua Santana.

Ainda de acordo com o registro, os homens teriam confessado que compraram o dispositivo “jacaré” pela internet por R$ 800. Após o crime, os policiais disseram ter apreendido nove envelopes, sendo que um tinha R$ 850 em dinheiro e o outro estava com um cheque de R$ 230.

Eles também teriam relatado que moram no distrito da Brasilândia, em São Paulo, e que essa seria a primeira vez que tentavam cometer o crime. A Polícia Militar deu voz de prisão aos suspeitos, que foram levados para a Central de Polícia Judiciária. Eles devem responder por furto qualificado.

A polícia informou que não encontrou testemunhas e que a denúncia foi feita ao 190 por meio do sistema de monitoramento da agência. A Caixa Econômica Federal disse que as “informações sobre eventos criminosos em suas unidades são repassadas exclusivamente às autoridades policiais e ratifica que coopera integralmente com as investigações dos órgãos competentes”.

ASSUNTOS
COMPARTILHE
VEJA TAMBÉM
MAIS NOTÍCIAS