Justiça determina soltura de dupla suspeita de furtar botijões de gás em Mogi

Por Luana
Compartilhe
Justiça determina soltura de dupla suspeita de furtar botijões de gás em Mogi

Botijões foram avaliados pela vítima em R$ 430. Na liminar, delator ressaltou que os presos são réus primários e que a tentativa de furto qualificado não envolve violência ou grave ameaça.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) determinou a soltura de dois homens suspeitos de invadir um galpão de reciclagem e furtar dois botijões de gás, em Mogi das Cruzes. O carpinteiro, de 26 anos, e o ajudante de pedreiro, de 21, estavam presos desde a noite de sábado (12), quando o crime ocorreu.

No domingo (13) eles tiveram a prisão preventiva decretada, porém, a Defensoria Pública entrou com pedido de habeas corpus pedindo que fosse considerado o cenário de crise econômica vivido pelo país, além dos reajustes no preço do gás de cozinha. A liminar foi concedida na terça-feira (15).

Segundo o boletim de ocorrência, o crime foi em um galpão de reciclagem localizado na Rua Cecília da Rocha, no distrito de Jundiapeba. Um dos botijões estava cheio e o outro, vazio. Eles foram avaliados pela vítima, um catador de 46 anos, em R$ 280 e R$ 150, respectivamente.

Na decisão, o relator Marcos Alexandre Coelho Zilli destaca que os presos são réus primários e que a tentativa de furto qualificado não envolve violência ou grave ameaça. Ele pede, portanto, que as prisões preventivas sejam revogadas e substituídas por medidas cautelares alternativas.

Leia também:  Mogi das Cruzes implanta mais 30 leitos de enfermaria para pacientes com a Covid-19

O caso
A vítima contou na delegacia que estava em casa quando decidiu acompanhar as câmeras de monitoramento do galpão. Em determinado momento, desconfiou do comportamento de três homens que passavam em frente à cooperativa por diversas vezes. O catador afirma ter visto, pelas imagens, quando os suspeitos pularam o portão e invadiram o local. Imediatamente, ligou para a Polícia Militar.


Ainda segundo o homem, quando chegou ao local, os agentes já haviam prendido um dos suspeitos. Porém, a vítima notou que dois botijões de gás tinham sido retirados da copa da cooperativa. Além disso, um cadeado que trancava o portão foi destruído. De acordo com o boletim de ocorrência, algum tempo depois, o catador notou pelas câmeras que o segundo suspeito ainda estava dentro do terreno.

Ele chamou a PM novamente, que encontrou e prendeu o segundo rapaz. Os dois foram levados para a Delegacia Seccional, onde o caso foi registrado como furto. Os botijões foram apreendidos e devolvidos. Com um dos suspeitos também foi encontrada uma faca de cozinha e um pedaço de ímã.

Inicialmente, os dois jovens foram detidos em flagrante, mas a Justiça converteu para prisão preventiva.

Pedido de habeas corpus
No pedido de habeas corpus, a Defensoria Pública do Estado cita a crise econômica e o aumento no valor do gás. “Atento que é sintomático o furto de botijão de gás, em dia em que todos os jornais do país noticiam o aumento do valor deste bem de consumo, juntamente da gasolina e de itens essenciais”, diz em um trecho do documento.

Leia também:  Em Mogi: Sesc tem programação recheada de teatro, música e esporte no fim de semana

O texto também discordava do preço estimado pela polícia com relação aos botijões. “Chama atenção também que a autoridade policial tenha realizado estimativa muito superior aos valores já exorbitantes relatados nos noticiários e nos mercados”.

“Segundo apontado, o preço médio do botijão de gás é de R$ 150,00, no estado de São Paulo, com os altíssimos reajustes apontados, o que tem levado à vulnerabilidade de inúmeras famílias, considerando o item como condição básica de subsistência”, completou.
Ainda segundo a defensoria, “a decretação da prisão nestas condições fere não só os mandamentos legais, mas também desconsidera condições mínimas de humanidade”.

Veja mais notícias como esta em Mogi das Cruzes

Deixe seu comentário