Vendas de motos sobem em Mogi após alta dos combustíveis

Por Luana
Compartilhe
Vendas de motos sobem em Mogi após alta dos combustíveis

Além disso, um levantamento realizado pelo Detran-SP apontou crescimento de 65% no número de habilitações da categoria “A” para motos no estado de São Paulo.

Circular pela cidade de carro está cada vez mais difícil devido a alta dos combustíveis. Por isso, uma forma mais econômica procurada por muita gente para aliviar o orçamento tem sido as motocicletas.

O comerciante Leandro Fontana roda cerca de 500 km por semana por causa do trabalho e o gasto de combustível já estava na casa dos R$ 1 mil, a cada sete dias. Pensando na economia, ele investiu em uma motocicleta. “A moto que eu comprei faz 40 km com o litro. Agora, com a moto, vou gastar em média, R$ 200 no mês”, diz Leandro.

Um levantamento realizado pelo Detran-SP apontou um crescimento de 65% no número de habilitações da categoria “A” para motos no estado de São Paulo. O número é o maior dos últimos dois anos e já reflete nas agências que trabalham com esse tipo de veículo.


Em uma concessionária de Mogi das Cruzes, a procura aumentou em 30% desde o segundo semestre de 2021.

“Muitas famílias têm optado por trocar um segundo carro por uma moto. Temos visto essa crescente inclusive pelo número feminino que tem procurado modelos de scooter, pela facilidade de pilotagem e economia. Tanto de tempo, quanto de combustível”, explica o consultor técnico Eduardo Brancher.

Leia também:  Centro Cultural de Mogi das Cruzes recebe mais uma edição do Cine Kaki

Segundo o consultor, para quem gasta cerca de R$ 600 a R$700 de combustível dá para recuperar o valor do investimento de forma rápida. “A pessoa fazendo a conta de quanto ela gasta de combustível, ela consegue pagar uma parcela da moto e ainda consegue pagar o combustível e deslocamento dela”.

“Eu até penso em trocar a moto pelo carro, mas não compensa. A moto, sinceramente, compensa mais”, diz o ajudante geral Daniel Ribeiro.

Apesar da economia, a moto também é mais perigosa. Dados do Infosiga, do mês de março, apontam que o maior número de vítimas fatais foram em acidentes de moto. Na região do Alto Tietê quatro pessoas morrem por acidente de moto.

Ainda no levantamento do Detran-SP, por causa do trânsito das grandes cidades, muitos motoristas estão migrando para as motocicletas que, além da economia, rodam com maior rapidez comparadas a um carro.

Veja mais notícias como esta em Mogi das Cruzes

Deixe seu comentário