Ataque com mais de 10 mil abelhas mata catadores de recicláveis em SC

Recomendação é manter distância de colmeia e, em caso de uma investida de um enxame, vítima deve correr em linha reta para evitar picadas, diz apicultor

Um ataque de abelhas deixou dois homens mortos, na última quinta-feira (27), em Navegantes (SC). As vítimas, de 45 e 53 anos, eram catadores e procuravam materiais recicláveis quando foram atacados por mais de 10 mil insetos.

Assim que sentiram as primeiras picadas, os dois homens correram, mas caíram e tiveram paradas cardiorrespiratórias. O Samu foi chamado e fez o atendimento, mas os dois homens não resistiram e morreram no local.

A dupla foi alvo de abelhas africanizadas, conhecidas como assassinas. O local do ataque precisou ser isolado pelos bombeiros da cidade para impedir que outras pessoas se aproximassem, de acordo com o capitão do Corpo de Bombeiros João de Moura Miranda.

Depois, os bombeiros iniciaram o remanejo dos insetos, o que deve levar de três a quatro dias para ser concluído — as abelhas são atraídas para uma caixa, que será transportada por um apicultor para um local seguro.

O apicultor Cleomar José Gellen, que trabalhou com abelhas a vida toda e conhece bem o comportamento delas, explica que, dentro das colmeias, alguns insetos têm a função de defesa.

Por isso, ele sugere se afastar o mais longe possível se perceber que existem abelhas por perto. Caso haja um ataque, o especialista recomenda correr em linha reta, uma vez que a tendência é elas desistirem do ataque.

O ataque de abelhas é mais comum no verão. Porém, a morte dos dois homens liga a luz amarela não só para o cuidado com o ataque dos insetos, mas também sobre a destinação incorreta de lixo e materiais.

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário